Economia

Tribunal dos EUA suspende partes do bloqueio do Departamento de Comércio dos EUA contra TikTok

De acordo com o Global Times, o Departamento de Comércio dos EUA anunciou em 12 de novembro a suspensão temporária do bloqueio da TikTok. A proibição, que estava programada para entrar em vigor naquele dia, impediria a Amazon e a Alphabet de fornecer serviços de hospedagem web para a TikTok. Se a medida fosse implementada, a TikTok seria incapaz de continuar operando nos EUA.

Impedir que o Departamento de Comércio dos EUA aplicasse a proibição foi uma decisão emitida por uma juÍza federal na Pensilvânia, no final de outubro. Em 30 de outubro, horário local, a juíza federal americana Wendy Beetlestone ordenou ao Departamento de Comércio dos EUA que adiasse a proibição de serviços de hospedagem de dados, serviços de entrega de conteúdo e outras transações técnicas para a TikTok nos Estados Unidos.

O processo foi solicitado por três dos fundadores da TikTok, e em sua decisão, o juÍza disse que a liminar do Departamento de Comércio “resultaria no fechamento de uma plataforma de criação utilizada por 700 milhões de pessoas em todo o mundo. Do total de usuários da TikTok, mais de 100 milhões estão nos EUA, incluindo pelo menos 50 milhões de usuários ativos diariamente”.

Para a TikTok, conseguir o apoio do tribunal dos EUA significa um fôlego para manter seus produtos operando além da data efetiva da liminar imposta pelo Departamento de Comércio dos EUA. Ainda na noite do dia 12, o governo dos EUA apelou da decisão da corte, dizendo que a proibição foi imposta para proteger os dados dos usuários americanos, não para fechar a troca de informações.

 

Fonte: 21caijing