Tecnologia Economia

Xiaomi, Huawei, Google e Apple investem em fabricação de chips

Desde 2010, a fabricação de chips já não é mais um campo exclusivo das empresas de chips. Nos EUA, Apple, Google, Microsoft, Tesla, Facebook e Amazon e, na China, Baidu, Alibaba, Xiaomi e Vivo, anunciaram oficialmente a fabricação de chips. Tencent e ByteDance também têm interesse nesse mercado.

Não é novidade para as maiores empresas de tecnologia a fabricação de chip fora do país. De acordo com a Nikkei Asia, a Google planeja lançar CPUs para notebooks e tablets equipados com sistema operacional Google Chrome por volta de 2023.

Além disso, não muito tempo atrás, a Google anunciou seu primeiro processador de smartphone desenvolvido pela própria empresa, a Tensor. Aparentemente, Google está trilhando um caminho muito parecido com o da Apple, com seus próprios celulares, tablets e notebooks, todos equipados com chips SoC autodesenvolvidos.

 

Por que grandes empresas estão desenvolvendo seus próprios chips?

Ao contrário da Huawei e Samsung, que têm décadas de história no desenvolvimento de chips, antes de 2010, muitos gigantes da tecnologia eram leigos em questão de chips.

Embora a Apple tenha tentado um projeto de chip chamado “Aquarius”, por volta da década de 90, o projeto foi terminado depois de ter prejuízo de dezenas de milhões de dólares, e o plano de chip auto-desenvolvido da Apple chegou a um fim abrupto até o A4 em 2010. Com o advento do chip, Apple tornou-se oficialmente uma “empresa de chips”.

Para as empresas de tecnologia, a compra direta dos chips das empresas especializadas economiza tempo e esforço. Para os chips móveis, tem a Qualcomm e MediaTek, as CPUs têm Intel e AMD, GPUs têm NVIDIA e AMD, e as FPGAs têm Xilinx e Intel.

Essas empresas estão entre as melhores, apesar da acirrada competição, e seus produtos representam o nível mais alto da indústria. Sob tal pretexto, por qual motivo os gigantes da tecnologia, como Apple e Xiaomi, deveriam se envolver no projeto de chips sem experiência, só acumulando “problemas” para si?

Isso vem da mudança da demanda do lado dos aplicativos. Ao buscar por um melhor desempenho dos produtos, os chips padronizados podem não ser capazes de oferecer o desempenho mais poderoso. Outra vantagem dos chips autodesenvolvidos é economizar em investimento de capital.

Em geral, por meio de chips desenvolvidos pelas próprias empresas, os gigantes da tecnologia podem oferecer aos clientes uma melhor experiência de produto ou serviço, economizar significativamente nos custos gerais e melhorar sua própria capacidade de resistir a riscos.

 

Fonte: IT Home