Empreendedorismo Tecnologia Economia

Breve história do desenvolvimento da Tencent, a maior empresa de jogos e entretenimento da China – Parte 2

Parte 2 – Continuando a lutar

Depois de várias lutas incessantes, nessa queda da bolsa de valores, apesar de um aumento dramático dos clientes, com um surpreendente número de 100 milhões de usuários registrados em pouco tempo, a empresa não conseguiu ter rentabilidade o suficiente. Ma Huateng (CEO e fundador da Tencent) e sua equipe, gastaram quase todos os fundos arrecadados para comprar equipamentos. Embora a Tencent tivesse um histórico de orgulho, nenhuma empresa na China estava disposta a comprá-la ou adquiri-la.

No final de 2000, a Tencent estava novamente em crise financeira e esperava que os investidores adicionassem capital, mas eles quase haviam perdido a confiança na empresa e não podiam ver qualquer esperança de que a Tencent sobreviveria.

Sem capital, a empresa não teria vitalidade e enfrentaria a falência e o fechamento. Por esta razão, os fundadores mais uma vez começaram a buscar formas de fazer a empresa sobreviver, primeiro em busca de um novo investidor e, segundo, por um comprador para vendê-la.

A sorte, mais uma vez, cai sobre a Tencent

Um dia, em janeiro de 2001, dois convidados inesperados foram à Tencent no Parque Científico e Tecnológico SEG Shenzhen. Um deles era um americano, que falava a língua chinesa, chamado de David Wallerstein, vice-presidente da unidade de negócios chinês da MIH na África do Sul. O outro era o presidente da Century Internet, uma empresa chinesa investida pela MIH. Foi a primeira vez que a Ma Huateng e seus colegas ouviram o nome MIH. Esse era um grupo de investimento baseado na África do Sul, o maior operador local de televisão por assinatura, e empresa listada tanto na NASDAQ quanto em Amsterdã.

O americano, David Wallerstein, também descobriu a Tencent por acidente. Devido ao seu trabalho, ele gostava de ficar em lan houses sempre que visitava uma cidade, para ver quais jogos os jovens jogavam. Para seu espanto, quase todos eles tinham programas de QQ em seus desktops, e os cartões de visita dos clientes com os quais ele tinha contato, todos tinham ID do QQ. Foi neste espírito curioso que, após algumas investigações, ele finalmente encontrou a Tencent, que estava escondida no 4º andar do Prédio ao leste do Parque Científico e Tecnológico SEG Shenzhen.

Ma Huateng e outros deram uma descrição detalhada da situação atual da Tencent, com o número de novos usuários aproximando-se de 500.000 por dia, o que equivale à população de uma pequena cidade na Europa. Desde a introdução de Ma Huateng e outras pessoas, David Wallerstein parecia ver um futuro brilhante para Tencent, com a possibilidade de rentabilidade.

Os dois lados pareciam estar atraídos e logo entraram em negociações.

Para surpresa de Ma Huateng e dos outros, David Wallerstein ofereceu uma valorização de US$ 60 milhões, o que fez Ma Huateng e os outros se sentirem entusiasmados, afinal, era exatamente 11 vezes maior do que há um ano. Além disso, as duas empresas de investimento anteriores também estavam muito contentes que a Tencent, que tinha investido por menos de um ano, tivesse realmente crescido 11 vezes.

Em um momento crítico, a Tencent foi salva pela entrada acidental desta empresa de investimento africana, que ficou com uma participação de 32,8%, tornando-se o segundo maior acionista.

Depois de receber o investimento da MIH, a Tencent conseguiu escapar da situação de escassez de fundos.

A situação era realmente um pouco semelhante àquela da primeira vez que recebeu o investimento.

Em maio do mesmo ano, o índice NASDAQ começou a crescer nos Estados Unidos, e as empresas de Internet viram a luz da primavera, com o QQ atingindo 100 milhões de usuários registrados. Um futuro brilhante estava por vir.

Quem na China sabia que o segundo maior acionista da famosa Tencent era um grupo de investimento da África do Sul, o MIH, que estava a um milhão de milhas de distância e não era conhecido? Foi graças ao investimento desta empresa que a Tencent conseguiu ressuscitar e se tornar uma das três maiores empresas chinesas de Internet da atualidade.

A história empresarial de 30 meses, de novembro de 1998 a maio de 2001, é uma história que os empreendedores da Tencent nunca esquecerão. Depois de caminhos difíceis, eles finalmente encontraram o produto principal de sua empresa. Não apenas tinham uma equipe com os mesmos objetivos, mas também uma marca agradável. Embora ainda não tivessem encontrado uma maneira de obter lucro, finalmente sobreviveram aos percalços no processo inicial de empreendedorismo e vieram para a esperança e luz do futuro.

                                                                                                                                   Tian Aiguo

                                                                                                                                                                                                                                            Junho de 2021, São Paulo, Brasil

Tags