Tecnologia

Microsoft declara que avança nas negociações para adquirir Tiktok nos EUA

A Microsoft afirmou que está pronta para avançar nas negociações de aquisição da TikTok nos EUA. A afirmação veio após o CEO Satya Nadella conversar com o presidente dos EUA, Donald Trump.

A Microsoft discutirá com a controladora da TikTok, ByteDance, nas próximas semanas, a ser concluída antes de 15 de setembro de 2020. Durante esse processo, a Microsoft disse que estava ansiosa para continuar o diálogo com o governo dos EUA, incluindo o presidente.

É relatado que a Microsoft e a ByteDance apresentaram uma proposta preliminar ao Comitê de Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos (CFIUS), envolvendo a compra pela Microsoft dos negócios da TikTok nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, para propriedade e operação da TikTok nesses mercados. Ao mesmo tempo, a TikTok convida outros investidores americanos a participarem desta compra como acionistas minoritários.

A Microsoft afirmou que garantirá que todos os dados privados dos usuários do TikTok EUA sejam transferidos para e mantidos nos Estados Unidos. Se algum desses dados existirem atualmente ou backups forem feitos fora dos Estados Unidos, a Microsoft também garantirá que eles sejam excluídos do servidor estrangeiro após a transmissão.

No entanto, a Microsoft enfatizou que essas discussões ainda são preliminares e não há garantia de que as transações possam ser avançadas.

No dia 2 de agosto, a Bytedance divulgou oficialmente uma declaração afirmando que a empresa estava enfrentando uma variedade de dificuldades complexas e inimagináveis, incluindo o ambiente político internacional tenso, a colisão e o conflito de diferentes culturas e o plágio e difamação pelo seu rival Facebook. Mas eles seguiriam o objetivo de globalizar e continuariam aumentando o investimento em mercados de todo o mundo, incluindo a China, para criar valor para os usuários globais, ao mesmo tempo em que respeitariam estritamente as leis locais, e usariam ativamente os direitos concedidos pelas leis para proteger os direitos legais da companhia.

Leia mais: Instagram recruta influenciadores do Tiktok para entrarem no Reels

Fonte: The 21st Century Business Herald